Devo “processar” ou perdoar?

Algumas dicas para que tome esta decisão:
1) “Efeito econômico” – Saiba a quantia que você tem chances de obter e o tempo médio que isso pode demorar. Pense se está disposto a deixar seu crédito prescrever visando preservar seu tempo. Leve em conta, também, que devedores “falidos” podem gerar vitórias meramente formais.
2) “Efeito nos devedores” – Deixar de processar pode incentivar o comportamento ilícito em cadeia de outros que tomam ciência da inação. O processo pode ser necessário também como recado de ajuste de comportamento de outros observadores.
3) “Obrigação da lei” – Alguns casos não permitem fuga, o processo é o único caminho que a lei autoriza.
4) “Efeito na clientela” – Bons clientes muitas vezes cometem falhas que devem ser relevadas, pois o processo pode gerar menos ganho que manter uma relação negocial para o futuro.
5) “A decisão é sua” – Não precisa ter pressa para decidir, os direitos raramente prescrevem ou caducam antes de um ano. Mas o atraso no ingresso da ação significa demorar mais para obter a vitória judicial.
6) “Não processar não é sinônimo de ficar inerte” – Você pode ainda não ter decidido, mas não fique inerte. Procure um advogado, faça notificações, guarde documentos, prepare-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
WhatsApp WhatsApp